3ª Semana

Uma das características da terceira semana é a gastrulação (formação das três camadas germinativas, disco trilaminar). Essa formação tem origem com a formação da linha primitiva, um espessamento do epiblasto formado pelo acumulo e pela proliferação de células epiblásticas no plano médio do disco embrionário. Enquanto a linha vai se alongando, em sua extremidade cefálica se forma o nó primitivo. Ambos o nó e a linha sofrem um processo de invaginação formando respectivamente: fosseta primitiva e sulco primitivo*.

Assim que temos a formação da linha primitiva, algumas células se “soltam” e formam o mesênquima ou mesoblasto. Esse mesênquima formará a mesoderma intra-embrionário, neste ponto o epiblasto passa a se denominar ectoderma intra-embrionária. Ao mesmo tempo algumas células da linha deslocaram o hipoblasto formando a endoderma intra-embrionária.

Algumas dessas células mesenquimais migram em sentido cefálico para formar o processo notocordal, que logo adquire uma luz chamada canal notocordal. Este processo cresce entre o ectoderma e a endoderma até alcançar a placa pré-cordal. Esse encontro formará a membrana orofaríngea, futura boca. Algumas células da linha primitiva migram cranialmente em ambos os lados do processo notocordal e em torno da placa pré-cordal; onde o encontro formara o mesoderma cardiogênico na área cardiogênica, onde o coração iniciará seu desenvolvimento no final desta semana.

Obs.: Na metade da terceira semana o mesoderma intra-embrionário separa a ecto da endo, exceto nesses pontos: Membrana orofaríngea (boca); plano médio em posição cefálica em relação ao nó primitivo onde se estende o processo notocordal; e membrana cloacal (ânus).

O processo notocordal funde-se com o endoderma embrionário, iniciando uma degeneração celular responsável pela abertura que comunicará o canal notocordal e o saco vitelino. Com a confluência das aberturas o canal vai desaparecendo. Então, o restante do processo notocordal ira formar a placa notocordal.

Essa placa, com a proliferação celular (cefálico-caudal), irá dobrar-se formando a notocorda propriamente dita. Então esta se “solta” do endoderma, que volta a ser uma membrana continua.

A notocorda será o “molde” para a coluna vertebral; dessa forma com a formação da coluna ela tende a degenerar-se, mantendo como remanescentes o núcleo pulposo dos discos intervertebrais. Ela também induz o desenvolvimento da placa neural (originada do ectoderma). O ectoderma da placa chama-se neuroectoderma e formará o SNC.

Por volta do décimo oitavo dia a placa neural sofre uma invaginação formando o sulco neural, que apresenta pregas neurais em ambos os lados. Essas pregas representam os primórdios do desenvolvimento encefálico do embrião. Ao final da semana as pregas se fundem e formam o tubo neural**. Este tubo apresenta duas aberturas em suas extremidades: os neuroporos rostral e caudal. Logo acabada a formação do tubo, este se solta da ectoderma superficial.

Quando o tubo se separa da ecto algumas células neuroectodermicas se soltam também e migram ventrolateralmente, formando placas achatadas (as cristas neurais). Essas cristas formaram estruturas importantíssimas e diversas do sistema nervoso; como: os gânglios espinhais, os gânglios autônomos e das células de Schwann.

Quando a notocorda e o tubo neural se formam o mesoderma intra-embrionário de ambos os lados prolifera para formar um espessa coluna de mesoderma paraxial. Esse mesoderma paraxial formara os chamados somitos, corpos cubóides em pares (um de cada lado). Eles aparecem inicialmente na região occipital e vão se desenvolvendo cefalo-caudalmente.

 

*Quando o nó primitivo permanece em aberto pode ocorrer o chamado teratoma sacrococcígeo. Por esse ser derivado de células pluripotentes, podemos observar em sua constituição diversos tecidos; inclusive dentes e ossos.

**Qualquer anomalia no processo de neurulação pode afetar gravemente o desenvolvimento do SN. Algumas conseqüências freqüentes são a anencefalia e a espinha bífida cística.

Anencefalia: http://www.webartigos.com/articles/4787/1/anencefalia-fetal-causas-consequencias-e-possibilidade-de-abortamento/pagina1.html .

Espinha bífida: http://www.ultrasom3d.com/Materias/espinha_bifida/espinha_bifida.htm .

Complementação: Uma das formas de prevenção mais indicadas para defeitos relacionados ao tubo neural é a ingestão de ácido fólico antes e durante a gestação.

 

Aula pratica

 

-Nesta aula visualizamos duas laminas: Somitos e Crista Neural.

                -Também foi dada uma fixação sobre esta semana de desenvolvimento.

 

Referencias:

MOORE, Keith L.: Embriologia Clinica. 5ed. Rio de Janeiro, GUANABARA KOOGAN, 1994.

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: